Fale conosco

O que você está procurando?

Revista Atrevida

TV e Séries

“Emily em Paris” é renovada pela Netflix e terá 3ª e 4ª temporada

Notícia foi comemorada por Lily Collins nas redes sociais

"Emily em Paris" é renovada pela Netflix e terá 3ª e 4ª temporada
"Emily em Paris" é renovada pela Netflix e terá 3ª e 4ª temporada. (Divulgação/Netflix)

Oui, Oui, fãs de “Emily em Paris”, a série vai ganhar duas temporadas novas pela Netflix! A Lily Collins compartilhou a notícia nas redes sociais, nesta segunda-feira, 10.

“Acordei cedo para dar notícias muito emocionantes… ‘Emily em Paris’ está de volta para a 3ª temporada… E espere por isso, 4ª temporada”, escreveu a atriz, em primeiro lugar. “Não sei dizer se Emily amaria ou odiaria essa roupa que estou usando, mas ela estaria gritando de qualquer maneira. Amo de verdade a todos, muito obrigado pelo apoio incrível”, disse, por fim. 

Enfim, confira o post de Lily sobre a nova temporada de “Emily em Paris” pela Netflix:

A novidade também foi confirmada no perfil da Netflix brasileira, que comemorou a renovação junto com os fãs. Vem ver:

Ministro da Ucrânia critica “Emily em Paris” por personagem estereotipada

O Ministro da Cultura da Ucrânia não gostou nada de uma personagem nova da segunda temporada de “Emily em Paris”. Oleksandr Tkachenko usou seu Telegram para falar sobre as características de Petra.

Para quem não lembra, ou ainda não viu a série, Emily conhece a personagem em uma aula de francês. Além disso, vemos ela roubando itens caros quando sai às compras com Emily.

“Nas décadas de 1990 e 2000, os homens ucranianos eram retratados principalmente como gângsteres. Com o tempo, isso mudou. No entanto, não neste caso”, escreveu ele. “Em ‘Emily em Paris’, temos uma caricatura de uma ucraniana que é inaceitável. Também é ofensivo. É assim que os ucranianos serão vistos no exterior? Quem rouba, quer tirar tudo de graça, tem medo de ser deportado? Não deveria ser assim”, continuou Tkachenko.

Posteriormente, o ministro da Ucrânia disse que conversou com a Netflix, que, a princípio, pareceu agradecida pelo feedback do político sobre “Emily em Paris”. “Eles ouviram sobre a preocupação dos telespectadores ucranianos com a imagem de uma mulher ucraniana. Acertamos que em 2022 estaremos em estreito contato para prevenir tais casos”, acrescentou.