Fale conosco

O que vc está procurando?

Revista Atrevida

Na Real

Mês das Mulheres: 15 livros incríveis com personagens femininas fortes que todo mundo deveria ler!

mes-das-mulheres:-15-livros-incriveis-com-personagens-femininas-fortes-que-todo-mundo-deveria-ler!

Em preparação para o Dia Internacional da Mulher, reunimos leituras com mulheres empoderadas para te inspirar

O Dia Internacional da Mulher já está chegando e que forma melhor de passar o famoso dia 8 de março do que lendo sobre mulheres fortes?

Às vezes, pode ser frustrante entrar no mundo dos livros e se deparar com mulheres sendo representadas como frágeis e necessariamente femininas, chegando até a serem sexualizadas. Dessa forma, desde clássicos da literatura, até livros já bem conhecidos pelo público infanto-juvenil, a Atrevida juntou para você 15 livros perfeitos com personagens batalhadoras e inspiradoras para você ler. Confira:

 

Um dos livros mais conhecidos da escritora americana, em “Amada”, acompanhamos a história de Sethe, uma ex-escrava que se refugia na casa da sogra, depois de escapar da fazenda onde era mantida em cativeiro, mesmo após a abolição da escravidão nos Estados Unidos.

O enredo da vida de Sethe foi inspirado na ex-escrava Margaret Garner, que escapou de uma fazenda em Kentucky, em 1856.

A leitura traz à tona discussões sobre o racismo e os desafios de ser uma mulher negra, neste caso, no século XIX.

 

O livro conta a história de Ifemelu e Obinze, dois jovens que se apaixonaram ao fugir da Nigéria, que estava sendo comandada por militares. Ao chegar nos Estados Unidos, logo após o atentado das Torres Gêmeas, Ifemelu encara pela primeira vez o racismo americano. Enquanto isso, o casal se separa quando Obinze vai para a Inglaterra ilegalmente.

Quinze anos depois, os dois se reencontram e redescobrem o amor pela Nigéria de onde vieram.

 

Uma das escritoras contemporâneas mais faladas atualmente, Elena Ferrante mostra a história de duas amigas, Lila e Lenu, morando em um bairro popular nos arredores de Nápoles, na Itália.

Lila é corajosa e direta nas palavras, enquanto Lenu é um pouco desajeitada. Juntas, as duas provam que, mesmo com vários conflitos, elas estão ali uma para a outra.

“A Amiga Genial” faz parte de uma tetralogia, sendo completada por “História do Novo Sobrenome”, “História de Quem Foge e de Quem Fica” e “História da Menina Perdida”.

 

“A Bolsa Amarela” mostra uma batalha interna, e, consequentemente, com a família, de Raquel, uma menina que decide esconder suas três maiores vontades — todas escondidas dentro de uma bolsa amarela: a de crescer, de ser um garoto e de se tornar escritora. Entretanto, conforme ela vai crescendo, maiores são seus desejos e mais cheia a bolsa fica.

 

Dessa vez, o personagem é real. “Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola” é a autobiografia de Maya Angelou. No livro, conhecemos Marguerite Ann Johnson, uma jovem que sofre com o racismo e o abuso.

Criada no sul dos Estados Unidos por sua avó paterna, a garota tenta se refugiar da situação em que vive se afundando nos livros e se confortando com palavras.

 

Outro livro que mistura autobiografia com ficção, “Hibisco Roxo” mostra a história da adolescente Kabili, que vive sob o extremo catolicismo de seu pai Eugene, que, por conta da religião e pavor das tradições nigerianas, rejeita seu próprio pai e sua irmã, um contador de histórias e uma professora universitária..

Tudo mudo quando Kambili passa a morar na casa de sua tia e se apaixona por um padre, que está fugindo da Nigéria.

 

Um clássico da literatura, “Jane Eyre” é um romance que segue a vida da jovem Jane para Thornfield Hall, onde trabalha cuidando da pupila de Edward Rochester, Adele. No meio desse ambiente meio perturbado, a personagem principal se apaixona pelo jeitinho gentil, mas meio perturbado de seu patrão. Eita!

 

Outro já conhecido do público é “Jogos Vorazes”, que mostra Katniss, uma adolescente que mora em um Estados Unidos distópico, onde a civilização é dividida em 12 distritos.

Todo ano, o país se junta para praticar os Jogos Vorazes, uma competição que junta adolescentes de 12 a 18 anos que lutam até a morte. Em uma das edições, a irmã de Katniss é escolhida para participar, mas a jovem não gosta nada da ideia, então se oferece para ir no lugar.

 

De uma escritora brasileira, “As Meninas” mostra os desafios da relação entre três estudantes universitárias solitárias vivendo nos governos militares brasileiros, em São Paulo. 

Durante o livro, elas vão fortalecendo a amizade entre si para passar por esse momento de incertezas, marcado por tortura e repressão.

 

Já adaptado para as telonas, com direito até a indicação ao Oscar, “Mulherzinhas”, ou “Little Women”, se passa logo depois da Guerra de Secessão. Vemos o caminhar do relacionamento de Jo March e suas duas irmãs, depois que descobrem que Beth, a irmã mais nova, desenvolveu uma doença séria, que pode mudar a vida delas por completo.

 

“O Ódio que Você Semeia” mostra a triste realidade que os jovens negros encaram ao longo da vida. Acompanhando a vida de Starr, vemos a adolescente aprender com os pais o que não fazer na frente de um policial, para não correr o risco de ser baleada.

Depois do assassinato de uma amigo seu durante uma abordagem policial, a adolescente decide encontrar algum jeito de fazer sua voz ser ouvida, mesmo durante esse momento difícil.

 

Outro clássico da literatura, em “Orgulho e Preconceito”, vemos a jovem Elizabeth Bennet, uma mulher bem decidida e com palavras afiadas na ponta da língua, que se apaixona por Fitzwilliam Darcy, um nobre arrogante e orgulhoso que faz parte da alta sociedade. Dessa forma, Lizzie precisa deixar de lado os seus preconceitos para fazer esse romance acontecer.

 

Em uma saga de cinco livros, acompanhamos a história de Mare Barrow, que vive em uma sociedade alternativa em que as pessoas são definidas e julgadas pela cor de seu sangue: vermelhos, meros plebeus, e prateado, a elite com poderes sobrenaturais.

Ao procurar um emprego para ajudar sua família, que possui sangue vermelho, Mare acaba se instalando como funcionária do palácio real, onde descobre um poder misterioso que a deixa confusa sobre a real cor de seu sangue.

 

Um livro com uma pegada bem retrô, anos 1960, conhecemos a Evelyn Hugo, uma lenda do cinema, que ficou conhecida por seus invejados cabelos loiros. Entretanto, a estrela sofre com os bastidores conturbados, que envolvem sete casamentos.

A história também apresenta Monique Grant, funcionária de uma grande revista. Durante uma onda de desmotivação, a repórter descobre que a celebridade está disposta a conceder uma entrevista exclusiva para ela, mudando a carreira da jornalista de cabeça para baixo.

 

Neste livro brasileiro, conhecemos Bibiana e Belonisia, filhas de trabalhadores de uma fazenda na Bahia, já no período do Brasil pós-abolição da escravidão.

Enquanto Belonisia se encontra satisfeita com a vida na fazenda, Bibiana não suporta a situação em que sua família vive e decide lutar por seus direitos — à terra e à emancipação. Com essa diferença de pensamento, a jovem acaba tendo que deixar sua irmã para trás para ir atrás daquilo que acredita.