Fale conosco

O que vc está procurando?

Revista Atrevida

Música

Scooter Braun se pronuncia sobre polêmica envolvendo Taylor Swift: “Me arrependo”

Produtor musical comprou os sucessos antigos da cantora em 2019

Scooter Braun se pronuncia sobre polêmica envolvendo Taylor Swift
Scooter Braun se pronuncia sobre polêmica envolvendo Taylor Swift. (Fotos: Getty Images)

Nesta quarta-feira, 23, quase dois anos depois do começo da briga judicial entre Taylor Swift e Scooter Braun, o produtor musical se pronunciou sobre a situação. Em entrevista ao portal Variety, o empresário falou sobre sua aquisição dos masters da cantora.

“Eu me arrependo e fico triste em ver que Taylor teve essa reação com o contrato… Tudo que aconteceu foi muito confuso e nada baseado no real”, lamentou Scooter, em primeiro lugar.E”u não sei qual história foi contada a ela. Eu pedi pra ela sentar e conversar comigo diversas vezes, mas ela se recusou. Ofereci vender de volta sua discografia a partir de um contrato confidencial, mas o time dela recusou. Tudo pareceu muito infeliz”, afirmou, em seguida.

Além disso, o produtor revelou que ainda quer conversar com Taylor sobre tudo o que aconteceu, para poder explicar o seu lado. “Uma conversa aberta poderia ser tão bom para o entendimento. Eu e ela só nos encontramos rapidamente 3 ou 4 vezes no passado, e todas nossas interações foram amigáveis e gentis. Eu acho ela uma artista incrível e a desejo tudo do melhor“, afirmou, por fim.

Entenda a briga entre Taylor Swift e Scooter Braun

A briga da cantora (e de seus fãs) pelos créditos dos primeiros sucessos de Taylor começou depois que Scooter Braun, empresário de estrelas como Justin Bieber Demi Lovato, comprou os direitos, 2019.

Na entrevista para o programa americano, na época, T-Swift afirmou que pretendia regravar seus primeiros cinco álbuns: “Taylor Swift”, de 2006; “Fearless”, de 2008,;“Speak Now”, de 2010; “Red”, de 2012; e “1989”, de 2014. “Acho importante que os artistas sejam donos de seus trabalhos”, confessou no bate-papo. 

“Reputation”, lançado em 2017, também estava na briga judicial, mas só poderá ser regravado em 2022, por conta da data de estreia.

Na época em que seus hits foram adquiridos como parte da venda da Big Machine Records para a Ithaca Holdings, Swift declarou publicamente sua insatisfação, em particular da escolha de Scooter Braun, com quem já havia brigado.

Em 2018, antes de seu sétimo álbum “Lover”, Taylor Swift assinou o contrato com a Universal Music Group, justamente para poder ter, de forma definitiva, todos os seus novos projetos, que agora incluem “Folklore”.

Antes da venda da Big Machine para a Ithaca, Swift afirma que estava negociando a compra das master para seus primeiros seis álbuns (“Taylor Swift”, “Fearless”, “Speak Now”, “Red”, “1989” e “Reputation”).

Na virada de outubro para novembro, os Swifties conseguiram fazer a tag “Taylor is free” (“Taylor está livre”, em tradução literal) chegar nos assuntos do momento do Twitter, apoiando a cantora.