Fale conosco

O que vc está procurando?

Revista Atrevida

Música

Do “The X Factor” para o mundo: conheça a trajetória do Little Mix

Conheça a grande trajetória do girlgroup formado em 2011 e que até hoje faz história!

Little Mix
Little Mix (Getty Images)

O grupo Little Mix fez história na última edição do BRIT Awards 2021, sendo o primeiro girlgroup a vencer a categoria “Melhor Grupo” na premiação britânica. Foram mais de 40 anos com apenas grupos masculinos vencendo, nem mesmo Spice Girl, Sugababes e All Saints ganharam a categoria.

E esta não é a primeira vez que essas mulheres fazem história: Little Mix também é o único girlgroup a ganhar o The X Factor. Isto aconteceu em 2011, ou seja, já são 10 anos delas juntas. Elas passaram por diversos momentos, muitos positivos e alguns negativos.

Por isso, a Atrê resolveu fazer uma trajetória dessas incríveis artistas que celebram tanto a amizade, poder feminino e muitas outras causas.

The X factor

Jesy, Leigh-Anne, Jade e Perrie se encontrar no “The X Factor”. Elas fizeram audições separadas e por conta de Kelly Rowland (Destiny’s Child) elas foram colocadas em grupo distintos. Jesy e Perrie em um, Leigh-Anne e Jade em outro. Mas os jurados não gostaram das formações e no último suspiro, resolveram juntar as quatro no mesmo grupo. É claro que elas aceitaram, pois desta forma continuariam no show.

Depois disso, foi só sucesso. Durante o próprio programa elas decidiram o nome do grupo. A cada performance no programa de talentos, elas ganhavam mais favoritismo até que chegaram na final. O melhor de tudo é que elas GANHARAM! Assim, se tornaram o primeiro grupo feminino da história a ganhar o programa e até hoje são as únicas.

A música cantada na final, “Cannobal”, foi transformada em single e emplacou no topo dos Charts britânicos logo na primeira semana com mais de 548,000 cópias vendias.

DNA

No ano seguinte, 2012, elas lançaram o primeiro álbum, chamado “DNA”, que contou com o single de estreia “Wings” – que também alcançou a primeira posição dos charts britânicos com mais de 800 mil cópias vendidas.

O álbum também conta com “DNA”, “Change Your Life” e “How You Doing’? (feat. Missy Elliot).

Mas, muito além dos charts, o que mais chama a atenção são os vocais que se encaixam perfeitamente. Não existe um grupo melhor em harmonização que o Little Mix. Os vocais individuais também ganham destaque, uma vez que cada uma tem um tom distinto.

Dica: para se deliciar nas hamonizações “Pretend It’s OK” é perfeita. Para ouvir os diferentes tons de voz, escute “Turn Your Face” e para dançar muito escute “Wings”.

Salute

Depois do inquestionável sucesso de “DNA”, a produtora queria já um segundo álbum. “Salute”, de 2013, é marcado por muitas mensagens feministas e muitos mixers apontam ele como um dos melhores álbuns do grupo.

O lead single foi “Move”, que alcançou a terceira posição no chart do UK. A música é super dançante e os vocais perfeitos – como sempre. Em seguida, veio “Salute”, que tem um clipe super legal e a música chama todas as mulheres para a luta.

“Little Me” fala sobre conselhos que Jesy, Perrie, Jade e Leigh dariam para elas mesmas quando menores. É uma música de superação, com uma linda mensagem.

Além disso, o álbum fala muito sobre relacionamentos. Todas elas sofreram muito em relações anteriores. Na época, Perrie Edwards namorava o ex-One Direction Zayn, o que fez com que ela levasse muito hate sem nenhum motivo.

As canções “Good Enough”, “Towers” e “These Four Walls” também falam sobre relacionamentos e todas são bem emotivas e pessoais, vale a pena escutar.

Get Weird

Em 2015, quando o álbum “Get Weird” foi lançado, o hit “Black Magic” estourou nos EUA – e até hoje é uma das mais populares do grupo, apesar de não ser nem de longe a música favorita de Jesy.

Desde então, o grupo finalmente começou a ganhar mais reconhecimento no país norte-americano.

A era foi recheada de hits como “Hair” (que ganhou remix com Sean Paul), “Grown”, que era a música preferida da galera para usar em edits, “Love Me Like You”, “Secret Love Song”, além da injustiçada “Love Me or Leave Me”, que nunca teve uma perfomance ao vivo, apesar de ser perfeita.

Glory Days

Dias de glória mesmo! Esta foi a era com mais hits das meninas. Tudo começou com “Shout Out To My Ex”, de 2016, que marcou a resposta oficial de Perrie para o Zayn depois de dele supostamente terminar o noivado com a cantora por mensagem. O single também marcou o retorno do grupo para a primeira posição do chart inglês.

Esta era também teve muitas colaborações como Kid Ink, em “Touch”, “Power”, com o rapper britânico Stormzy, e “No More Sad Songs”, com Machine Gun Kelly – essas canções também têm versões somente com os vocais das meninas. Além de “Oops”, com Charlie Puth, e o remix de “Reggaetón Lento”, com CNCO.

Em 2020, Little Mix ultrapassou as Spice Girls, se tornaram o grupo que mais vendeu singles nos UK e sendo assim, o maior girlgroup do mundo. Ninguém faz como elas!

Aumentando a popularidade do grupo no continente norte-americano, elas abriram a “Dangerous Woman Tour”, de Ariana Grande, nos Estados Unidos. Inegavelmente foi uma das melhores promoções no país.

LM5

Depois de dois anos de espera, o grupo voltou com o seu quinto álbum. Sem dúvida, tinha muita expectativa com o projeto!

Mas a troca de gravadora no meio das promoções do álbum dificultou muito. Para não perder direitos sobre as músicas, o grupo lançou a versão “Think About Us” com Ty Dolla $ing.

A principal mensagem do grupo foi mais uma vez o poder feminino e algumas canções que também falaram sofre racismo. A versão do álbum sem o rapper marca só colaborações femininas (objetivo inicial do projeto), com Nicki Minaj em “Woman Like Me”, “Strip” com Sharaya J e “More Than Words” com a super parceira Kamille.

LM5 é um dos álbuns favoritos dos mixers, junto com o “Salute”. Vale ouvir ele inteiro!

Esta era também marcou a vinda do grupo pela primeira vez ao Brasil. Infelizmente, era começo de pandemia (o Brasil nem mesmo tinha registrado o primeiro caso) e por complicações de saúde, Perrie acabou não vindo. Mas o show foi incrível. Quem foi?

Confetti

Já em pandemia, “Confetti” foi lançando em 2020 e com toda a certeza fica para a história por ser o último álbum do grupo como um quarteto. Em dezembro de 2020, Jesy Nelson anunciou sua saída, por conta das comparações injustas com as outras integrantes.

Então, com poucas perfomances por conta da COVID-19, não houve uma se quer apresentação do grupo com quatro integrantes. No começo, Jade acabou sendo infectada e foi afastada e, depois, Jesy se afastou, antes mesmo da decisão definitiva de deixar o grupo.

O que importa é que “Sweet Melody” alcançou o topo dos charts e foi muito bem, mesmo com tantas dificuldades. A era também tem outros singles: “Break Up Song”, “Holiday” e “Coneftti (feat. Saweetie), já sem os vocais de Jesy.

O álbum também marca a primeira produção sem o Simon Cowell e teve até shade para ele em “Not a Pop Song”. A preferida da maioria dos mixers é “Gloves Up”, que muita gente queria que virasse single.

Turnês

Quase nem dá para contar nos dedos quantas vezes elas já lotaram o Wembley e a O2 Arena. Todas as turnês mundiais foram um sucesso. Mas infelizmente elas nunca tiveram nenhuma turnê só delas nos EUA, motivo que sempre gerou muitas críticas as agências responsáveis pelo grupo.

“The Salute Tour” arrecadou US$ 10.6 milhões e passou por 21 países.

Já a “Get Weird Tour” faturou US$ 25 milhões e passou por 60 países. De quebra teve DVD do show no Wembley, estádio com capacidade para mais de 90.000 pessoas.

A maior turnê do grupo foi “Glory Days Tour” com 42 milhões de dólares arrecadados entre os 75 países em que passaram.

“LM5 The Tour” arrecadou US$ 22,4 milhões em com 41 shows. Aliás a turnê ganhou um filme super especial.

Curiosidades

  • Leigh-Anne e Perrie estão grávidas, mas as datas da Confetti Tour continuam. Em entrevistas, o trio já confirmou que está trabalhando em um novo álbum e que tem diversas surpresas para os fãs, inclusive uma parceria. UAU!
  • Em setembro de 2020, o grupo ganhou seu próprio reality show na busca de um novo grupo musical chamado “Little Mix: The Search”. O grupo ganhador, “Since September”, abrirá a “Confetti Tour”.
  • E por fim, Leigh-Anne produziu um documentário que fala sobre colorismo pela BBC. “Leigh-Anne: Race, Pop & Power” chega dia 13 de maio.

Confira o último lançamento do trio:

Por Sara de Oliveira