Fale conosco

O que você está procurando?

Revista Atrevida

Música

BTS desabafa sobre masculinidade tóxica e escolha de não colocar críticas sociais em “BE”; confira!

bts-desabafa-sobre-masculinidade-toxica-e-escolha-de-nao-colocar-criticas-sociais-em-“be”;-confira!

Meninos também falaram sobre sucesso inesperado de “Dynamite”

BTS se abriu sobre os padrões impostos para os homens, em uma entrevista, nesta segunda-feira (23). Os meninos vão aparecer na edição de inverno 2020/21 da revista americana Esquire, focada em assuntos masculinos.

and the best 2020 magazine bts pictorials go to Esquire! pic.twitter.com/Iyd8mgcSh9

— (@KSJLOOKS) November 23, 2020

+++LEIA MAIS: Billie Eilish ganha primeiro “vídeo infinito” em comemoração a 1 bilhão de visualizações em “Bad Guy”

No bate-papo, Jungkook, J-Hope, SUGA, RM, Jimin, V e Seokjin falaram de todos os bastidores de sua fama, desde seu debut até o “domínio mundial”, como o jornalista chamou na entrevista.

Logo de início, o rapper SUGA criticou como a sociedade definiu características para a masculinidade. “Existe essa cultura onde a masculinidade é definida por certas emoções, características. Não gosto dessas expressões”, começou falando. “O que significa ser masculino? As condições das pessoas variam de dia para dia. Às vezes você está em boas condições; às vezes você não está. Com base nisso, você tem uma ideia da sua saúde física. E a mesma coisa se aplica mentalmente”, comentou. “Muitos fingem estar bem, dizendo que não são ‘fracos’, como se isso fosse torná-lo uma pessoa fraca. Eu não acho isso certo. As pessoas não dirão que você é uma pessoa fraca se sua condição física não for tão boa. Deve ser o mesmo para a condição mental. A sociedade devia ser mais compreensiva”, completou SUGA. Falou tudo!

+++LEIA MAIS: Joalin Loukamaa lamenta desencontro com membro do Now United em Dubai

As críticas sociais estão sempre presentes na música BTS, desde o começo. De acordo com SUGA, a cenário pop da Coreia do Sul ainda não tinha muitas letras sobre a saúde mental dos jovens. “Comecei a fazer música porque cresci ouvindo letras que falam sobre sonhos, esperanças e questões sociais“, disse. “Isso veio naturalmente para mim ao fazer música”, finalizou.

Entretanto, parece que o “BE”, álbum lançado pelo grupo na última sexta-feira (20), foi uma exceção no padrão já conhecido pelos ARMYs. “Não acho que esse álbum tenha nenhuma música que critique questões sociais. Todo mundo está passando por momentos muito difíceis agora. Então, não acho que tenha músicas tão agressivas”, admitiu RM, líder do grupo.

E foi dessa tentativa de trazer positividade em meio a uma pandemia que surgiu o último hit recordista dos meninos: “Dynamite”. “‘Dynamite’ não estaria aqui se não houvesse Covid-19. Queríamos ir com calma, com algo simples e positivo“, disse o rapper. Seokjin concordou com o amigo e acrescentou: “Estávamos tentando transmitir a mensagem de cura e conforto para nossos fãs. Dominar o mundo não era realmente nosso plano quando estávamos lançando ‘Dynamite’“, brincou.

Assista o clipe de “Life Goes On”, faixa de “BE”: