Fale conosco

O que você está procurando?

Revista Atrevida

Fashion

Modelo fala sobre a volta do emo como tendência na moda

Isabela Crociolli comenta o retorno da febre que marcou os anos 2000

Modelo fala sobre a volta do emo como tendência na moda
Modelo fala sobre a volta do emo como tendência na moda. (Crédtiso: Getty Images)

Camisas quadriculadas, cintos com rebites, meias-longas, maquiagens e unhas… quando falamos sobre esses itens, a primeira coisa que vem a cabeça é a moda emo. Ela atravessou as passarelas e fez a cabeça dos jovens na primeira metade dos anos 2000. Para muitos, algo ultrapassado. Entretanto, não é bem isso que a Geração Z vem achando, assim como o universo fashion.

Como toda tendência, algumas coisas mudaram dos tempos que Avril Lavigne e Simple Plan, que eram como os representantes dos emos no mundo da música, dominavam as rádios e paradas de sucesso. A inserção de determinadas cores em conjunto com tons escuros talvez tenha sido a principal delas.

Para a modelo e influenciadora Isabela Crociolli, mesmo que o preto e a estampa xadrez ainda sejam a principal marca da moda emo, há um certo refinamento. E isso pode se comprovar na temporada Primavera/Verão 2022 da semana de alta-costura de Paris. Marcas usaram e abusaram de maquiagens, acessórios e penteados, junto de roupas que remetiam aos velhos tempos, com um quê de cores mais vibrantes.

As coleções, que trouxeram cores sóbrias, sobretudo para o rosto, dando o tom sombrio típico. De acordo com Crociolli, há dois modos em que eles aparecem: as tradicionais makes pesadas, com sombras pretas e as mais simples, com um efeito glossy, mas com sobrancelhas descoloridas — o que remete ao surrealismo, uma das marcas da tendência.

Já na mídia, alguns exemplos podem ser notados, como Luísa Sonza e Pabllo Vittar que trouxeram elementos do emo em seus looks e makes. No circuito internacional, Post Malone e Willow Smith são alguns dos nomes que aderiram à antiga febre.