Fale conosco

O que vc está procurando?

Revista Atrevida

Cinema

“Soul” comprova favoritismo e conquista o Oscar de Melhor Animação

O filme da Disney Pixar estava concorrendo com “Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica”, “A Caminho da Lua”, “Shaun, o Carneiro” e “Wolfwalkers”

"Soul" comprova favoritismo e conquista o Oscar de Melhor Animação
"Soul" comprova favoritismo e conquista o Oscar de Melhor Animação (Divulgação)

Na categoria “Melhor Animação”, o grande vencedor do Oscar 2021 foi o longa “Soul”, da Disney Pixar. A maior premiação do cinema mundial foi realizada na estação Union Station, em Los Angeles. Além dos EUA, tiveram também palcos ao vivo em Londres e Paris.

Tudo sobre “Soul”

No longa “Soul”, ganhador da estatueta de Melhor Animação do Oscar 2021, somos apresentados a história de um músico chamado Joe Gardner (Jamie Foxx) que só pensa em uma coisa: jazz. Apesar de ser apaixonado por sua profissão, ele não consegue encontrar uma chance de mostrar seu talento tocando piano.

Quando finalmente o sonho de Joe começa a tomar forma, sua vida muda de uma forma inesperada e ele irá conhecer um universo muito diferente daquele que ele estava acostumado. Além, é claro, de uma nova amiga: a 22 (Tina Fey). 

A trama leva o espectador para uma nova realidade, habitada por almas e debates mega atuais que brincam com o real e o imaginário. O longa mostra uma influência direta de “Divertida Mente” ao falar sobre o subconsciente humano, com toques da série “The Good Place” ao abordar questões relacionadas ao pós-morte e o que de fato é importante em vida.

Ao entrar em contato com este novo universo, Joe também entra em contato consigo mesmo e vê, diante dos seus olhos, como deixou seus próprios problemas e ambições o cegarem. Em uma determinada cena, nosso protagonista percebe que nunca disse um “Como vai você?” para o barbeiro onde ele sempre cortou o cabelo, dando um belo exemplo ao espectador de como é importante prestar atenção às pessoas ao nosso redor. 

Neste sentido, a história também traz luz para a necessidade das pessoas pensarem antes de falar umas com as outras, principalmente em momentos de conflito e tensão. Uma lição de colocar a empatia em dia explicada de forma simples, direta e extremamente necessária para a realidade em que vivemos hoje, na era do “cancelamento” e do ódio gratuito.

Por fim, “Soul” é um lindo presente de Natal da Disney para um ano conturbado como foi 2020. A história, que é pra acompanhar com lencinhos de papel do lado, coloca em debate a importância da saúde mental, empatia, valorização das pessoas ao nosso redor e, tudo isso, com um tom divertido, perfeito para assistir em família. 

Mais detalhes sobre o Oscar 2021

A maior premiação do cinema mundial foi realizada na estação Union Station, em Los Angeles. Além dos EUA, tiveram também palcos ao vivo em Londres e Paris.

O diretor Steven Soderbergh foi o responsável pela 93ª edição do Oscar, bem quando estamos no meio de uma pandemia. Vale lembrar que em 2011 ele dirigiu “Contágio”, um filme que conta a história sobre uma epidemia avassaladora que contamina a população. Irônico, né?

A ideia dessa edição do Oscar era deixá-lo com “cara de filme”, não mais como um programa de TV. Aliás, a premiação foi transmitida em 24 quadros e com formato panorâmico. Por causa do coronavírus, a premiação teve uma plateia menor.

Ao longo da premiação, tivemos diversos apresentadores, incluindo Brad Pitt, Reese Witherspoon, Renée Zellweger, Zendaya, Joaquin Phoenix, Harrison Ford, Halle Berry, Bong Joon Ho, Don Cheadle, Bryan Cranston, Laura Dern, Angela Bassett, Regina King, Marlee Matlin e Rita Moreno.