Fale conosco

O que você está procurando?

Revista Atrevida

Beleza

Limpar a pele: existe segredo nisso?

Confira dicas importantes para você cuidar da sua pele todos os dias

Limpar a pele: existe segredo nisso?
Limpar a pele: existe segredo nisso? (Canva Photos)

Assim como lavar o cabelo com um shampoo adequado faz diferença no resultado final, dar atenção ao que está sendo usado na hora de limpar a pele também é fundamental. “Qualquer rotina de skincare depende de uma boa limpeza da pele do rosto”, afirma a dermatologista Roberta Zaffari Townsend.

Primeiro passo

O primeiro passo é a escolha correta do sabonete. “Existem sabonetes para todos os tipos de pele, especialmente quando se trata do rosto – e  vale lembrar que o produto de uso corporal não é aconselhável para a face”, diz a médica.

No caso de pele acneica ou oleosa, os produtos específicos possibilitam uma limpeza na medida certa, retirando apenas a oleosidade em excesso. “Por serem específicos para esse objetivo, conseguem desempenhar sua função sem promoverem um ressecamento maior da pele, que pode levar ao ‘efeito rebote’ e consequentemente ao estímulo da produção de mais óleo pela pele”, afirma a dermatologista.

As peles mistas, por sua vez, são bem adaptáveis. “Elas podem apresentar características de uma pele mais oleosa em alguns dias e mais seca em outros, de acordo com o clima. Por isso, um sabonete que promova uma limpeza suave é o ideal.”

Peles sensíveis ou secas também precisam e devem ser higienizadas. “Produtos próprios para esse tipo de pele promovem uma limpeza suave, sem levar a um ressecamento ainda maior da epiderme.”

Tem mais?

O uso do sabonete é básico e indispensável. Mas existem outros produtos que também podem estar presentes no dia a dia da limpeza da pele. Um dos mais recentes a entrar para essa etapa de limpar a pele é o cleansing oil. “Esse óleo de limpeza, junto com os outros emolientes já presentes na pele, consegue retirar impurezas e promover a limpeza da pele.”

“Apesar dessa função de remoção, esse tipo de produto não necessariamente retira a oleosidade da pele como faz um sabonete. Inclusive, por conta da sua textura alguns pacientes sentem necessidade de usar um sabonete após o uso do cleansing oil”.

A doutora destaca ainda que essa textura é uma opção legal para peles secas, mas que as oleosas também podem usar esse tipo de produto, depois de fazer o teste de como a pele reage.

Já os demaquilantes são mais comuns no passo de limpeza. “Os bifásicos são bem interessantes. Conseguem unir a textura leve de uma água micelar, por exemplo, e a função do óleo que facilita a retirada de certos produtos da pele.”

Água micelar

A água micelar, por sinal, também é outra opção. “Ela é um água enriquecida com moléculas que puxam os resíduos presentes na pele, muitas vezes podendo ser mais suave do que alguns demaquilantes. Pessoas de pele oleosa se adaptam melhor à água micelar”. E a especialista ainda completa: “A água micelar também pode entrar no lugar do tônico.”

Aliás, por falar em tônico, esse também apresenta uma textura leve e é o último passo da limpeza. “Por meio do seu uso ainda é possível retirar algum resíduo que possa ter ficado mesmo com as limpezas anteriores. Ajuda a evitar a obstrução dos poros e também é um ‘carinho’ para a pele após uma sequência de limpeza.”

Acessórios de limpeza

Por fim, a especialista fala sobre a febre dos limpadores, sejam eles manuais ou mecânicos. Mas o quanto realmente esses aparelhos ajudam na limpeza da pele? Será que vale o investimento? E eles podem ser prejudiciais de alguma forma para a pele?

“Esses aparelhos podem ser interessantes como um ‘plus’ para o momento de limpar a pele, mas o resultado de uma boa limpeza vai depender muito mais das escolhas corretas dos produtos usados do que necessariamente de uma ferramenta como essa“, explica doutora Roberta.