Na real / Comportamento / 6 perguntas essenciais para fazer ao ginecologista





6 perguntas essenciais para fazer ao ginecologista

Todo mundo tem dúvidas na hora de ter uma consulta no ginecologista e, por isso, é importante sair de lá com todas as respostas. Conversamos com uma especialista que esclareceu algumas. Se liga!

Miga, ir ao ginecologista é fundamental para checar se está tudo certinho com você. Batemos um papo com a ginecologista, obstetra e sexóloga Erica Mantelli que listou as principais perguntas que toda paciente deve fazer ao seu médico. “Nada de tabu quando entra no consultório, o importante é informação e conhecimento”, comenta Erica.

 

1- Qual a idade certa para ir ao ginecologista?

“Geralmente assim que a menina tiver a sua primeira menstruação ou até antes, para o profissional já ir explicando as mudanças que essa fase transitória irá trazer e preparando a menina para a menarca. Até porque algumas meninas podem ter atraso nessa primeira menstruação, e ficar esperando muito tempo também não é bom”

 

2- É normal sentir muita dor de cólicas?

“Nada em excesso é bom. Avaliar a intensidade dessa cólica é fundamental junto do especialista para descartar condições mais complicadas, como a endometriose”.

 

3- Menstruação irregular é normal?

“As alterações podem ser causadas por diversos fatores (como estresse) e passageiras, mas em alguns casos é preciso investigar se não são frutos de alterações da tireoide, dietas restritivas ou alterações hormonais”.

 

4- Me explica mais sobre as DST's?

“Pergunta importantíssima! Nós só conseguimos nos prevenir daquilo que conhecemos a fundo. Seu ginecologista irá te orientar sobre os cuidados que você deve ter com seu parceiro, os sintomas e o que fazer caso suspeite que algo não vai bem”.

 

5- É normal ter corrimento vaginal?

“Não! O normal é a mulher não ter corrimento! A secreção incolor, que lembra "clara de ovo" e sem cheiro é comum no período fértil, mas só! Corrimento que causa coceira, desconforto, mau cheiro ou de cores diferentes precisará de tratamento”.

 

6- Qual é o método contraceptivo mais seguro?

“Existem vários métodos contraceptivos, mas é sempre importante apostar em um método de barreira, que no caso seria a camisinha - tanto masculina quanto feminina. Já que, além de evitar a gravidez, a camisinha protege de doenças. Fora o preservativo, a mulher pode usar DIU (Dispositivo Intra-Uterino) ou até algum método hormonal, de acordo com cada caso”.

 

Miga, vale lembrar que é importantíssimo você esclarecer todas as dúvidas que tem com a sua médica (o). Quanto mais informação tiver, melhor. #ficadica

 



Comentários